Loading...

Blog

Útimos posts do blog

Conteúdo vende! … mas é preciso saber fazer.

[:pb]Olá pessoal,

Hoje gostaria de compartilhar com uma postagem do início do ano que ainda continua rendendo e muito. Típica pergunta de 9 em 10 reuniões: Em qual conteúdo devo investir para vender mais? Tente responder…

Se sua resposta for a dúvida não estranhe. Para um mercado que ainda está aprendendo a vender com base na informação de qualidade, ainda temos muito caminho a entender sobre o comportamento dos consumidores principalmente se tratando daqueles que geram conversão. De qualquer forma, vou tentar de alguma forma aqui ajudar com base nas centenas de experiências e aprendizados acumulei nessas quase duas décadas de varejo digital.

Uma das reações mais comuns nessas rodadas estratégicas são as dos que querem o all-win só que se esquecem de que isso pode custar caro, muito caro. Imagens montadas com perfeição no Photoshop, vídeos cinematográficos, imagens em 360º, realidade virtual, aumentada, QR Code e mais algumas dezenas de itens são sugeridos a esmo e sem muita reflexão até chegar a conta dessa aposta… Ai tudo vira reflexão, que vira corte, que vira frustração.

Por que oferecer tudo? Será que seu cliente quer tudo isso? Mesmo que queira, a conta fecha?

Em tempos complicados como esse, não podemos deixar de refletir muito nessas perguntas. As ações devem ser precisas, com resultados minimamente garantidos. Para isso você precisa conhecer seu cliente.

Vamos a prática!

As compras

Entro em um grande e-commerce com o desafio de comprar um carrinho de bebê. São centenas! Parece que todo o mundo resolveu fazer carrinhos de bebê! Vamos tentar filtrar as opções por uma marca famosa ou por uma indicação de conhecidos… aqui seu conteúdo ainda não ajudou muito.

A sorte

De tantas opções encontrei uma que me parecia confiável e acessei a página do produto. UAU! Olha só o All-win aqui!
Uma dúzia de fotos de delegacia (frente, lado, costas…), um vídeo lindo de uma mãe italiana passeando com seu bebê italiano pela Toscana, 360º mostrando a mesma coisa que as fotos… (custou caro tudo isso).

“A” experiência

Nada nessa enxurrada de informações lindas me ajudou a realmente querer gastar uma pequena fortuna em um carrinho. Queria explicações, precisava saber sobre a experiência de se ter um daqueles. Bookmark e já volto.

A evasão

Não encontrei informação valiosa na loja, vamos ao Google! Encontrei em uma loja americana o que chamo de conteúdo ideal para o consumidor certo. Era um vídeo com uma produção bem simples, poderia ter sido feito com um bom telefone, mas mostra a compradora da categoria, que faz questão de dizer seu nome, que é mãe de 2 filhos, apresentando o produto. Ela de maneira muito “mãe” abriu, fechou, levantou e mostrou tudo que uma mãe ou pai gostariam de perguntar a um vendedor.

Isso é experiência! Ela me vendeu o produto e infelizmente a loja era nos EUA o que me obrigou a comprar aqui em outra loja. Replique isso a milhares de produtos a venda em suas lojas todos os dias (conversão indo para o ralo).

Resumindo..
O conteúdo precisa ser vendedor!!
Se não for, está no canal errado. Estamos falando de e-commerce! Ele precisa explicar seu produto, fazer a vez de um bom vendedor na loja, esclarecer dúvidas. O conteúdo precisa ter foco para não ser uma chatice envelopada em uma carinha bonita.

Nós aqui na iSee temos como principal rotina entender, estudar e aplicar modelos de informação que sejam relevantes aos consumidores, dentro também das expectativas e orçamento de quem vende. Não estou dizendo que sair fazendo vídeos com o celular vai resolver o problema mas garanto que aquele conteúdo lindo mas sem sentido não agregaram em nada na hora da decisão.

Entenda para quem está vendendo, entenda o que ele quer, venda o que ele precisa ouvir. No final, todos saem satisfeitos!

Se quiser entender um pouco mais sobre experiência no varejo, fique ligado no nosso canal no LinkedIn ou se preferir, ligue na nós que ajudamos a entender o que você precisa.

Abraços![:en]Hello guys,

Today I would like to share with a post from the beginning of the year that still continues to yield and much. Typical question of 9 in 10 meetings: In what content should I invest to sell more? Try to answer …

If your answer is in doubt, do not be surprised. For a market that is still learning to sell based on quality information, we still have a lot of way to understand about consumer behavior, especially when it comes to converters. Anyway, I’m going to try to somehow help here based on the hundreds of experiences and learning I have accumulated in these nearly two decades of digital retail.

One of the most common reactions in these strategic rounds are those who want the all-win only to forget that this can be expensive, very expensive. Images perfectly assembled in Photoshop, cinematic videos, 360º images, virtual reality, augmented, QR Code and a few more dozens of items are suggested at the same time and without much reflection until you get the account of that bet … Then everything turns to reflection, which becomes court , Which turns to frustration.

Why offer it all? Does your client want all this? Even if you want, the account closes?

In difficult times like this, we can not but ponder these questions very much. Actions should be accurate, with minimally guaranteed results. For this you need to know your customer.

Let’s practice!


The purchases

I enter a large e-commerce with the challenge of buying a baby stroller. There are hundreds! It seems that everyone decided to make baby strollers! Let’s try to filter the options by a famous brand or an indication of acquaintances … here your content has not helped much.
The luck

From so many options I found one that seemed reliable and I accessed the product page. WOW! Look at the All-win here!
A dozen photos of the police station (front, side, back …), a beautiful video of an Italian mother walking with her Italian baby in Tuscany, 360º showing the same thing as the photos … (cost all that).

“The experience”

Nothing in this flurry of beautiful information helped me to really want to spend a small fortune on a cart. He wanted explanations, he needed to know about the experience of having one of those. Bookmark and I’ll be back.


The evasion

I did not find valuable information in the store, let’s go to Google! I found in an American store what I call ideal content for the right consumer. It was a video with a very simple production, could have been made with a good phone, but it shows the buyer of the category, that makes a point of saying its name, that is mother of 2 children, presenting the product. She very “mother” opened, closed, raised and showed everything a mother or father would like to ask a salesperson.

This is experience! She sold me the product and unfortunately the store was in the USA which forced me to buy here at another store. Replicate this to thousands of products for sale in your stores every day (conversion going down the drain).

Summing up..
Content needs to be a seller !!
If it is not, you are in the wrong channel. We are talking about e-commerce! He needs to explain his product, turn a good salesperson into the store, clarify doubts. Content needs to be focused so as not to be an enveloped nuisance in a pretty face.

We here at iSee have as main routine to understand, study and apply models of information that are relevant to consumers, also within the expectations and budget of those who sell. I’m not saying that making videos with the phone will solve the problem but I assure you that those beautiful but meaningless content did not add anything to the decision time.

Understand to who is selling, understand what he wants, sell what he needs to hear. In the end everyone leaves satisfied!

If you want to understand a bit more about retail experience, stay connected on our LinkedIn channel or if you prefer, call us and we’ll help you understand what you need.
[:es]Hola amigos,

Hoy me gustaría compartir un post de comienzo de año que sigue rindiendo mucho. Pregunta típica de 9 en 10 reuniones: ¿En qué contenido debo invertir para vender más? Trate de responder…

Si su respuesta está en duda, no se sorprenda. Para un mercado que todavía está aprendiendo a vender basado en información de calidad, aún tenemos un montón de maneras de entender acerca del comportamiento del consumidor, especialmente cuando se trata de convertidores. De todos modos, voy a tratar de ayudar de alguna manera aquí, basado en los cientos de experiencias y aprendizaje que he acumulado en estas casi dos décadas de venta al por menor digital.

Una de las reacciones más comunes en estas rondas estratégicas son aquellos que quieren el all-win y olvidan que esto puede ser caro, muy caro. Imágenes perfectamente ensambladas en Photoshop, vídeos cinematográficos, imágenes en 360º, realidad virtual, aumentada, Código QR y unas cuantas decenas más de ítems se sugieren al mismo tiempo y sin mucha reflexión hasta que obtengas el presupuesto de esa apuesta… Entonces todo es reflexión, que se convierte en corte, que se convierte en frustración.


¿Por qué ofrecer todo? ¿Sera que su cliente quiere todo esto? Incluso si lo desea, la cuenta cierra?

En tiempos difíciles como este, no podemos dejar de reflexionar sobre muchas de estas cuestiones. Las acciones deben ser precisas, con resultados mínimamente garantizados. Para esto usted necesita conocer a su cliente.

¡Vamos a practicar!

Las compras

Entro en un gran e-commerce con el reto de comprar un cochecito de bebé. ¡Hay cientos! Parece que todo el mundo decidió hacer carritos de bebé! Vamos a tratar de filtrar las opciones de una marca famosa o una indicación de conocidos …
aquí su contenido no ha ayudado mucho.

La suerte

De tantas opciones encontré una que parecía confiable y accedí a la página del producto. ¡GUAUU! ¡Mira el All-win aquí!
Una docena de fotos de comisaría (frente, lateral, atrás …), un hermoso video de una madre italiana caminando con su bebé italiano en Toscana, 360º mostrando lo mismo que las fotos … (cuesta caro todo eso).

La experiencia

Nada en esta ráfaga de información hermosa me ayudó a querer realmente gastar una pequeña fortuna en un carrito. Quería explicaciones, necesitaba saber sobre la experiencia de tener uno de esos. Bookmark y vuelvo mas tarde .

La evasión
No encontré información valiosa en la tienda, vamos a Google! Encontré en una tienda estadounidense, lo que yo llamo contenido ideal para el consumidor adecuado. Fue un video con una producción muy simple, podría haber sido hecho con un buen teléfono, pero muestra al comprador de la categoría, que dice su nombre, que es madre de 2 hijos y presenta el producto. Ella muy “madre” abrió, cerró, levantó y mostró todo lo que una madre o un padre le gustaría preguntar a un vendedor.

Esta es la experiencia! Ella me vendió el producto y lamentablemente, la tienda estaba en los Estados Unidos lo que me obligó a comprar aquí en otra tienda. Repita esto en miles de productos a venta en su tienda cada día (la conversión va por el desagüe).

Resumiendo..
¡El contenido necesita ser un vendedor !!
Si no lo es, está en el canal equivocado. Estamos hablando de e-commerce! Necesita explicar su producto, convertirse en un buen vendedor en la tienda, aclarar dudas. El contenido debe tener un foco para no ser una pérdida de tiempo envuelta en una cara bonita.

Aquí en iSee tenemos como rutina principal entender, estudiar y aplicar modelos de información que son relevantes para los consumidores, dentro de las expectativas y el presupuesto de aquellos que quieren vender. No estoy diciendo que hacer videos con el teléfono solucionará el problema, pero les aseguro que esos hermosos videos con producciones y sin contenido adecuado, no agregan nada al la hora de decidir la compra.

Entender a quién se está vendiendo, entender lo que quiere, decir lo que necesita escuchar. Al final todo el mundo quedara satisfecho!

Si desea comprender un poco más acerca de la experiencia de venta minorista, manténgase conectado en nuestro canal de LinkedIn o si prefiere, llámenos y le ayudaremos a entender lo que necesita.

Abrazos![:]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*